LOGO 2 BLOG







Prefeito de Bonito, Edinho, fala sobre eleições 2016

Em entrevista nesta tarde ao Blog do Léo Barbosa, o prefeito de Bonito, Edinho, disse que as conversas sobre o pleito que se aproxima para 03 de outubro, já ganham forças nas ruas, no entanto, seu grupo político mantém uma postura firme no sentido de escolher um candidato de consenso, um nome que venha preencher as expectativas do povo e de aliados, entre estes nomes ele destaca como principais lideranças do seu grupo: Cassio, Reinan e Gilmar e que, outros nomes de oposição, caso haja algum entendimento, poderão fazer parte da chapa majoritária.

Perguntado sobre se ele pretende assumir a sua candidatura, já que todos são cientes do nome que ele tem, liderando todas as pesquisas de opinião, devido a sua força de líder e, mesmo em dias tão difíceis, é um dos prefeitos mais bem avaliados no momento. Edinho responde que numa composição, poderá pensar em ficar fora do páreo, no entanto, não descarta a possibilidade de vir a assumir de vez sua candidatura, caso seja convocado pelo grupo na lideranças do Deputado José Carlos Araujo e Eduardo Salles. Ainda interrogado sobre a rejeição das sua contas pelo TCM , o prefeito disse que no entendimento do TSE, a rejeição de contas em si não torna uma pessoa inelegível, mas sim as causas que ensejaram na sua rejeição. No caso de Bonito, foi somente o descumprimento do limite de gastos com pessoal da prefeitura, consequência da queda de receita e da manutenção da folha, e citou como exemplo a folha de concursados da educação que de dezembro de 2012 até os dias atuais teve um aumento de 60.28%, enquanto a Receita do FUNDEB teve um aumento de 28,22%,uma conta que não fecha.

Portanto em suas contas não existiu nenhum prejuízo ao erário e cita o que diz a Lei.
O art. 1o, I, g, da LC no 64/1990 (Lei das Inelegibilidades), define que são inelegíveis para qualquer cargo “os que tiverem suas contas relativas ao exercício de cargos ou funções públicas rejeitadas por irregularidade insanável que configure ato doloso de improbidade administrativa.

Comente com o Facebook:

Postar um comentário

0 Comentários