LOGO 2 BLOG







Teatro Virtual entrará na casa de baianos e garantirá risos para amenizar a Fadiga da Pandemia

SE VOCÊ NÃO PODE IR AO TEATRO, O TEATRO VAI ATÉ VOCÊ!
Teatro Virtual entrará na casa de baianos e garantirá risos para amenizar a Fadiga da Pandemia

Na semana em que se comemora o Carnaval, milhares de pessoas estariam indo às ruas pular atrás do trio, encontrar com amigos e celebrar a festa popular. Por causa da Pandemia, este ano, não será possível. Para amenizar a situação do confinamento e contribuir para criar um clima mais leve, essa semana, as famílias baianas irá contar com uma programação de espetáculos virtuais gratuitos. A Mostra Caravana Teatro Itinerante Virtual, que acontece há 13 anos, composta por artistas do interior do estado, de Salvador e Sergipe levará arte, cultura e garantirá sorrisos. As apresentações acontecem neste final de semana no canal do Youtube caravana teatro itinerante. "Queremos que a nossa Mostra Virtual diminua a distância entre artista e público, estamos com saudade dos palcos e com saudade dos aplausos que nos impulsionam a continuar fazendo arte", explica Helen Carregosa, coordenadora da Mostra.

Espetáculos teatrais, dança, poesia e música na palma da mão

É a primeira vez que as atividades ocorrem 100% no mundo virtual e pretende bater nas portas e adentrar as casas de baianos e rodar pelo mundo inteiro. Tudinho transmitido ao vivo através da plataforma virtual no YOUTUBE de 19 a 21 de fevereiro. “ Esse projeto sai do interior para o mundo com a ajuda da tecnologia, por isso estaremos alcançando espaços nunca imaginados. Contará com 15 espetáculos teatrais , além de poesia, dança, música e oficinas disponíveis gratuitamente, durante esses 3 dias, na comodidade das casas de baianas, baianos. Uma oportunidade também para conhecer a cultura de várias cidades do estado e de Sergipe”, explica Helen Carregosa, coordenadora do projeto financiado pela Lei Aldir Blanc Bahia.
As apresentações artísticas abordarão temas que promovem a reflexão da sociedade como: responsabilidade social, a violência contra a mulher, a natureza e a pandemia.



DIMINUIR O TÉDIO E A TENSÃO COM RISOS

Além disso, peças infantis darão a leveza ao final de semana da família que poderão apreciar a arte e sentir esperança de dias melhores .“ Estamos empenhados em levar arte para casas de pessoas que nunca foram ao circo. Uma das peças infantis será a magia do circo e tudo que envolve o lúdico. A programação será contínua, ou seja, começa às seis da tarde até que todos os espetáculos sejam apresentados. Por isso pedimos aos pais e mães que façam um balde de pipoca para rir conosco”, entusiasmada, pontua Carregosa.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb) (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

CARACTERÍSTICAS DOS ESPETÁCULOS

Os espetáculos teatrais que compõem a programação da mostra apresentam temáticas, técnicas e gêneros diversos. Regionalismos, violência contra a mulher, construção de preconceitos, luta entre bem e mal, circo teatral e as divertidas comédias, são dicas do que poderá ser encontrado nas peças preparadas pelos grupos teatrais. Uma característica que todas as peças terão na Mostra, são os elencos reduzidos. Os espetáculos não poderão ter mais de cinco atores ou atrizes em cena. Abaixo algumas
sinopses e outras informações.




· Peça: Dois lados

Grupo Teatral Mistuarte – Seabra/BA

Sinopse: Entre ficar ou sair, se prender (ser prendida) ou se libertar, o que escolher? O espetáculo “Dois Lados” apresenta uma mulher em seu debate interno, durante umrelacionamento em que sofre violência psicológica e física. A tomada de decisão, ou a falta dela, pode significar perdas, rupturas, e esquecimento do eu. As diferentes visões e sentimentos da personagem são divididos em vários personagens, em que todos estes, tentam de alguma forma trazer clareza para a sequência de vida da personagem. Porém, quando se enxerga, às vezes pode ser tarde demais. O exercício do olhar para dentro é o que permeia a trama.

Elenco: Geisa Lorena, Bárbara Pina, Carlos Daniel e Tayane Beatriz.


· Peça: EM CADA VEREDA: O VELHO CHICO

Grupo: Lamparinas do Sertão – Seabra/Bahia

Sinopse: O Espetáculo EM CADA VEREDA: O VELHO CHICO irá percorrer três cidades pertencentes ao território do Velho Chico: Brotas de Macaúbas, Ibotirama e Bom Jesus da Lapa e duas cidades do território da Chapada Diamantina: Seabra e Morro do Chapéu por esses territórios apresentarem relevantes elementos sertanejos no interior baiano. A peça irá abordar a temática da relevância de preservação da água e da identidade sertaneja através da apresentação de elementos que compõe a essência de regiões por onde passa o rio São Francisco. Este ícone está fortemente presente no enredo da peça teatral, de modo a conscientizar os espectadores sobre a relevância de conhecer, respeitar e valorizar os elementos que compõem a identidade sertaneja e a água como elemento indispensável para a manutenção do homem do nordeste.


Elenco: Gabriel Silva dos Santos, Ana Cristina Mendes Dos Anjos, Ketley Cristina Mendes Souza, Marília Eduarda Anjos de Sousa e Clarissa Barros de Souza.



· Peça: O Fim do Kauês e Kenans

Grupo: Encenações - Morro do Chapéu/Bahia

Direção: Naldão

Sinopse: O Fim dos Kauês e Kenans é uma alusão à história da situação da morte de várias personagens nerãs e indígenas na construção do Brasil. O que refere à construção dos preconceitos, racismo e fusões religiosas de hoje em dia.

Elenco: Israel Queiroz e Juciano Teles


· Peça: Tô de boa, Tô de Boal.

Grupo: Grupo Art'Mandaia – GAM - Salvador/BA

Sinopse: Componentes de um grupo de teatro estão reunidos fazendo os últimos ajustes em seu espetáculo mais conhecido, que recebeu um convite para fazer uma turnê pelo interior do estado, quando, no intervalo dos ensaios, um dos integrantes lê uma notícia sobre a descoberta de uma epidemia surgida na China, com risco de se alastrar pelo mundo tornando-se uma pandemia. Não demora e o Covid-19 chega ao Brasil, causando o distanciamento social. Todas as apresentações são canceladas, mas o grupo decide se manter junto e não sair do local onde ensaia, mesmo quando é decretado o lockdown. Para aproveitar o tempo, resolvem estudar teatro e o único suporte disponível é encontrado na mochila de um dos integrantes, estudante de Teatro da UFBA, o livro O Teatro do Oprimido, de Augusto Boal. Aos poucos vão relacionando os estudos com os acontecimentos causados pela pandemia, com todas as notícias, informações que recebem de uma televisão e aparelhos celulares, decidem então preparar um novo espetáculo para ser encenado nas ruas quando a pandemia terminar, baseado no Teatro do Invisível, Teatro Fórum, Teatro Imagem, Teatro Jornal e Teatro Legislativo. Enquanto isso, dialogam, descobrem segredos e contam histórias sobre a vida cotidiana de cada um. Retratando sonhos, desejos, medos, relações frustradas e muito humor nessa prisão inesperada.

Elenco: Sinara Santana. André Santos. Maria Andrade. Brenda Suzart. Emilin Santos.


· Peça: O Jogo

Grupo: Cultura Jovem – Jacobina/BA

Sinopse: O jogo, fala da violência sofrida por uma mulher (ou por todas as mulheres) que entra em um relacionamento conturbado acreditando ter encontrado o amor de sua vida, mas, depois de muitas decepções, brigas e ameaças de morte ela tenta terminar tudo para começar uma nova vida, mas o jogo do faz de conta, o jogo de interesses e principalmente o jogo das leis e da justiça dá outro destino para aquela mulher.

Elenco: Thay Rodrigues e Felipe Neves

· Peça: A saga do Mimoso

Grupo: Cia. de Teatro Renascer'Art – Utinga/Bahia

Sinopse: A peça conta história do boi mais estimado do fazendeiro, que foi arrancado a língua para satisfazer o desejo da mulher do vaqueiro, que depois de ter sua língua arrancada adormece e, não tem padre, nem pastor, nem pai de santo que o faz acordar, o Mimoso só acorda após a mulher, satisfeita com a língua, promete que o filho que a espera será o negrinho do pastoreio. E a peça termina com o canto do mimoso que sai saltitando pelo terreiro.

Elenco: Josete Alves, Marta Bela, Marcos, Afonso Santana e Diomário Dias.



· Peça: O Assalto

Grupo: Filhos de TioSan – Utinga/BA

Sinopse: É uma comédia com uma sequencia de trapalhadas, bagunça e diversão, tudo como resultado de um assalto mal sucedido.

Elenco: Afonso Santana, Diomário Dias, Paulo Roberto.



· Peça: Vida e Morte neste rio

Grupo: ATOART – Ponto Novo/Bahia

Sinopse: O Bem e Mal interagem com pessoas que se utilizam do rio ItapicuruAçú, influenciando-as quanto à sua relação de preservação do meio ambiente.

Elenco: Douglas Ferreira de Oliveira; Fabiano Silva Souza; Jéssica de Jesus Viana; Lourival Sampaio; Neidson Venâncio

· Peça: Bahia, terra de risos e lágrimas

Grupo: Trup da saúde - Senhor do Bonfim, Bahia.

Sinopse: Bahia, terra de risos e lágrimas conta a história de uma vovó que da calmaria de seus noventa e tantos, conta para seus netinhos histórias alegres e tristes da Bahia. Relata a Geurra de Canudos, os causos de Lampião, os festejos de São João da Senhor do Bonfim de seu tempo, enquanto as crianças usam a imaginação e brincam com os seus relatos.

Elenco: Janna Santos, Vínicio Dionízio e Noemy Mel Reis




Comente com o Facebook:

Postar um comentário

0 Comentários