LOGO 2 BLOG







Auxílio Brasil: veja o calendário de pagamentos em 2022

O governo divulgou nesta quinta-feira (30), no Diário Oficial da União, o calendário oficial de pagamentos do Auxílio Brasil para 2022.

A terceira parcela do programa que substitui o Bolsa Família começará a ser paga em 18 de janeiro. Veja abaixo o calendário:



Para saber em que dia o benefício ficará disponível para saque ou crédito em conta bancária, a família deve observar o último dígito do Número de Identificação Social (NIS), impresso no cartão de cada titular. Para cada final do NIS há uma data correspondente por mês.

"As parcelas mensais ficam disponíveis para saque por 120 dias após a data indicada no calendário. Os beneficiários podem conferir no extrato de pagamento a “Mensagem Auxílio Brasil”, com o valor do benefício", informou, em nota, o Ministério da Cidadania.

Programa social substitui Bolsa Família após 18 anos

Os pagamentos do Auxílio Brasil começaram em 17 de novembro, mesmo dia em que o governo liberou a última parcela do auxílio emergencial, instituído em razão da pandemia de Covid-19. Em dezembro, o governo federal começou a pagar a todos os beneficiários um valor mínimo de R$ 400.

Decreto assinado pelo presidente Bolsonaro prorrogou até dezembro de 2022 o chamado "Benefício Extraordinário", que assegura o valor mínimo de R$ 400 por família atendida pelo programa de transferência de renda. O pagamento retroativo a novembro, promessa do governo, não acontecerá.



Os benefícios serão pagos por meio da conta poupança social ou por contas-correntes regulares. Quem for inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) poderá abrir, de forma automática, uma conta do tipo poupança social digital para receber o pagamento.

Número de beneficiados

Em dezembro, o governo pagou o benefício a 14,5 milhões de famílias. O Ministério da Cidadania confirmou à TV Globo na quarta-feira (29) que o público do Auxílio Brasil só será ampliado para 17 milhões de famílias a partir de janeiro de 2022.

Em nota, o ministério afirmou que, após a promulgação da PEC dos Precatórios, o governo incluiu mais 2,7 milhões de famílias nos pagamentos programados para janeiro -- totalizando 17,7 milhões de famílias. Com isso, a pasta promete que vai zerar a fila de espera do programa.

Bolsonaro vetou, entretanto, trecho da lei do Auxílio Brasil que proibia a formação de fila de espera para acesso ao programa. Segundo a Cidadania, isso se deu porque a vinculação de atendimento de todos os elegíveis, de forma automática, "altera a natureza da despesa do programa de transferência de renda do governo federal e acarreta, consequentemente, ampliação das despesas sem a devida previsão orçamentária".



Ou seja, a ampliação do número de potenciais beneficiários do programa "dependerá das dotações orçamentárias disponíveis, com vistas a cumprir as regras de responsabilidade fiscal".

Canais de atendimento

Em caso de dúvidas sobre o Auxílio brasil, o governo oferece 3 canais de atendimento:


pelo telefone 121, do Ministério da Cidadania,
pelo número 111 da Caixa Econômica Federal
pelo aplicativo Auxílio Brasil

Comente com o Facebook:

Postar um comentário

0 Comentários