LOGO 2 BLOG







XP e Ável são processadas em R$ 10 milhões após postarem foto só com pessoas brancas



A corretora XP e o escritório credenciado Ável Investimentos estão sendo processados por entidades do movimento negro, feminista e de defesa dos direitos humanos. A ação alega falta de diversidade no quadro de funcionários e pede, de acordo com o Uol, indenização de R$ 10 milhões por dano social e moral coletivo e que as empresas cumpram uma série de medidas para aumentar a diversidade.

A ação judicial foi protocolada nesta quarta-feira (18) após viralizar, na semana passada, uma foto mostrando os funcionários da Ável. No registro, com mais de 100 pessoas, quase todas as pessoas eram homens, brancos e jovens.


Além da indenização milionária, a ação também pede medidas como:

  1. A composição do quadro de contratados permanentes ou temporários tenha a mesma proporção de negros, mulheres e indígenas presente na sociedade brasileira;
  2. Sejam disponibilizados cursos gratuitos e estágios remunerados para promover a formação e a experiência profissional desses colaboradores;
  3. Haja cotas para pessoas idosas e pessoas com deficiência;
  4. Seja estabelecido um prazo de 90 dias para apresentação de um plano de diversificação do quadro de colaboradores;
  5. Seja definido um prazo de 90 dias para apresentação de plano de aceleração de carreira, para favorecer a diversidade em todos os níveis da gestão empresarial;
  6. As empresas incorporem ao conselho de administração quatro novos membros, integrantes das comunidades sub-representadas;
  7. Seja contratada uma auditoria externa para acompanhar a execução das medidas.

Em nota enviada ao Uol, a XP reconheceu que "a inclusão de pessoas negras na companhia e rede de parceiros é uma questão fundamental" e disse que tem metas internas para "aumentar a contratação, em todos os cargos, de pessoas negras, mulheres, LGBTQIA+ e PCDs". A Ável afirmou que não vai comentar o assunto. (Correio24Horas)

Comente com o Facebook:

Postar um comentário

0 Comentários